Selecione o Profissional
 

Bruna Linzmeyer

TEMAS:


Bruna Linzmeyer é Atriz. É reconhecida por seu ativismo pelos direitos feministas e LGBTI+. Suas interpretações mais emblemáticas são Linda, personagem autista na novela Amor à Vida, Professora Juliana em Meu Pedacinho de Chão, Luna em O Filme da Minha Vida e Amsterdã, personagem viciada em heroína no longa-metragem A Frente Fria Que a Chuva Traz.


Começou sua carreira como modelo e, aos 15 anos, participou do concurso "Garota Verão", do Grupo RBS, afiliada da Rede Globo em Santa Catarina. Aos 16 anos, saiu de sua cidade natal e foi viver em SP, onde morou por um ano tentando ser modelo.

 

Ingressou no curso de teatro do Centro de Formação do Ator GLOBE-SP e sonhava em montar uma peça com os amigos. Pretendia mudar-se para o México, onde iria estudar e trabalhar, entretanto, em 2010, recebeu o convite para um teste para a minissérie Afinal, O Que Querem As Mulheres?, de Luiz Fernando Carvalho, onde viveu a personagem russa Tatiana Dovichenko. Após ser aprovada, abdicou do curso de teatro e se viu obrigada a cancelar a ida para o México.

 

Pouco depois de começar a gravar, recebeu um convite para novo teste, desta vez, para a novela Insensato Coração, de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, onde foi novamente aprovada, para interpretar a personagem Leila Machado, uma jovem apaixonada e com pensamentos modernos. Ao ingressar na trama, mudou-se para o RJ, onde vive até hoje.

 

Em 2011, estreou no teatro na peça-perfomance Seewatchlook, de Michel Melamed, no High Line Park, em NY. O projeto foi capa do caderno de cultura do The New York Times, em outubro daquele ano. Mais tarde, foi produzido como documentário e série de TV.

 

Em 2012, Bruna participou da série As Brasileiras, protagonizando o episódio "A Vidente de Diamantina" e, no mesmo ano, interpretou a dançarina Anabela, na novela Gabriela, e atuou na peça Adeus à Carne ou Go To Brazil. No mesmo ano, fez a performance-filme em três telas intitulada “Autorretrato”, de Anna Costa e Silva, onde a artista convida atrizes para interpretarem ela mesma.

 

Em 2013, ganhou destaque ao interpretar a personagem autista Linda, em Amor à Vida. Sua atuação rendeu indicação ao prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, no Prêmio Contigo de Televisão de 2013.

 

Iniciou a carreira no cinema em 2013, como par de Rodrigo Santoro no papel de dois dançarinos no filme Rio, Eu Te Amo. Na sequência, rodou outros quatro filmes, sendo eles O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues, representado pela atriz no 71º Festival de Cannes em 2018; o terror O Amuleto, de Jeferson De, com Maria Fernanda Cândido, lançado em 2015; A Frente Fria Que A Chuva Traz, de Neville d’Almeida, no qual emagreceu 10kg para viver uma garota que se prostitui, lançado em 2016; e O Filme da Minha Vida, de Selton Mello, atuando novamente com Johnny Massaro. Este último levou a atriz a diversos festivais internacionais, como o Festival de Cinema de Lima, Festival de Cine di Roma, Festival de Guadalajara e o Festival Internacional Del Nuevo Cinema Latino-americano, em Havana.

 

No ano seguinte, foi escalada para protagonizar o remake de Meu Pedacinho de Chão, como a doce e delicada professora Juliana. O papel lhe rendeu indicações aos prêmios F5, da Folha de São Paulo, e Melhores do Ano, da Globo. 

 

Em 2015, foi confirmada no elenco de A Regra do Jogo como a rebelde Belisa Stewart, onde foi indicada ao prêmio Melhores do Ano. Após a novela, a atriz rodou o filme O Banquete em São Paulo, de Daniela Thomas, que lhe rendeu uma indicação ao prêmio de melhor atriz coadjuvante no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2019. Em seguida, gravou Alice & Só, um road movie de Daniel Lieff.

 

Bruna é conhecida pela constante mudança na cor de cabelo por causa de suas personagens. É jurada da mostra de longas estrangeiros no 44º Festival de Cinema de Gramado.

 

Em 2017, integrou o elenco da novela A Força do Querer de Glória Perez, vivendo Cibele. No intervalo das gravações da novela, Bruna rodou o curta-metragem Doberman, da Clariô Filmes, e o longa O Que Resta de Fernanda Teixeira, vivendo Patrícia. Em 2018, faz uma participação especial como uma policial no último capítulo da novela Pega Pega. Também participou do documentário Neville D'Almeida: Cronista da Beleza e do Caos e da série Quebrando o Tabu, do GNT. Em seguida, interpretou Lourdes Maria na novela O Sétimo Guardião, de Aguinaldo Silva. Paralelamente, gravou o curta “Escândalo”, de Yasmin Thayná e Lucilio Jota.

 

Em 2019, Bruna estreou o curta Alfazema, de Sabrina Fidalgo, onde interpreta um diabo agênero. O curta integrou o Festival de Cinema Negro Zozimo Bulbul, no RJ, e ganhou os prêmios de direção e som no 52º Festival de Brasília, em 2019. O ano de 2019 também marcou a sua participação no longa Medusa, de Anita Rocha da Silveira, e Uma Paciência Selvagem me Trouxe Até Aqui, de Erica Sarmet, ao lado de Zélia Duncan.

 

Foi jurada da Mostra “Novos Rumos” do 19º Festival do Rio e da Mostra Competitiva de Longas-Metragens do 52º Festival de Brasilia do Cinema Brasileiro, que premiou pela primeira vez uma atriz transexual e um ator indígena nas categorias de melhor atriz e melhor ator, Anne Celestino e Regis Myrupu.

 

Bruna é assumidamente lésbica. Em 2019, recebeu o Prêmio Félix Suzy Capó de Personalidade do Ano, celebrando a representatividade LGBTQIA+ na TV, no cinema e nas redes sociais. Em seu discurso, Bruna agradeceu a "todas as mulheres que amou", e também a "todas as lésbicas que fizeram caminho para que estivéssemos aqui".

 

07/2020


Outros Palestrantes do mesmo tema


Serviços
  • Clique aqui se você é um Palestrante e deseja participar do casting da Mix Palestras.
  • Clique aqui para obter uma proposta ou contratar um palestrante
Contato
  • twitter:
    @mixpalestras
  • Mande-nos uma Mensagem